A Banda DOPA mais uma vez levou o ritmo contagiante da Bahia ao palco da Marcha para Jesus. Depois da apresentação da apresentação eletrizante, eles foram entrevistados pela equipe de reportagem do site oficial do evento. Acompanhe, a seguir, alguns trechos: 

A Banda DOPA completou dez anos de Marcha para Jesus. Como foi a primeira participação de vocês?

 Em nossa primeira Marcha, nós puxamos o trio elétrico do ministério de jovens da Igreja Renascer em Cristo. Foi um convite que as lideranças da época nos fizeram. Ficamos surpreendidos com a resposta do público porque, logo na primeira música, uma multidão se reuniu ao redor do nosso trio. Foi incrível. No ano seguinte, nos apresentamos no palco. Hoje, nós fazemos os dois. São dez anos levando a mensagem do evangelho através da música. 

A imagem pode conter: 1 pessoa, atividades ao ar livre

Para vocês, é mais emocionante se apresentar no trio ou no palco? 

Para nós, os dois são na mesma proporção. Um é um complemento do outro! Mas, no palco, nós temos uma percepção maior da grandiosidade da Marcha para Jesus. É um mar de gente sem fim. Dá um frio na barriga… Não sabemos, nunca, qual será a reação do público. Mas, graças a Deus, sempre foi positiva.  

No trio, a gente se sente um pouco mais em casa, pelo fato de já termos feito isso muitas vezes em Salvador (BA). O trio é uma espécie de aquecimento para o palco. Nós já chegamos à concentração com a energia lá em cima…   

Como foi a preparação de vocês para hoje? Qual é o critério na hora de escolher o repertório? 

Sinceramente, nós decidimos na hora! Nós entramos no line-up deste ano faltando dois dias para o evento. Preparamos uma abertura especial, mas as outras músicas ficaram a critério do Espírito Santo. Entregamos tudo nas mãos do Senhor, Ele conduziu tudo!   

Como é representar o axé music na maior manifestação cristã do mundo? 

É especial, diferente, impactante e uma grande responsabilidade. Mas estamos muito tranquilos em relação a isso porque temos convicção daquilo que a gente crê! 

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas tocando instrumentos musicais, violão e atividades ao ar livre

Vocês têm alguma experiência de Marcha para Jesus para dividir? 

Depois de cada apresentação, nós recebemos uma enxurrada de mensagens de pessoas que foram tocadas por Deus, por meio de nossas músicas. Mas há duas situações que nos marcaram bastante… Teve um cara que curte punk rock e nos procurou em um evento e disse: ‘Eu odiava crente, tudo relacionado à igreja. Eu odiava axé. E, depois que eu ouvi as músicas de vocês, meu conceito mudou. Hoje, estou firme na igreja, e não perco uma apresentação de vocês!’. Ficamos impressionados.

 A outra foi de uma menina que nos contou que tinha medo de se envolver com a igreja, pois teria que deixar de ouvir axé e outros ritmos que ela curte… Depois de ouvir a Banda DOPA, ela percebeu que, na igreja, não há distinção de ritmos; o que importa é a mensagem que você pretende passar… Hoje, ela está super firme… 

Saindo da Marcha, quais serão os próximos passos da Banda DOPA? 

Estamos preparando um repertório inovador… Vamos agregar novos ritmos, mas sem perder a nossa essência… Estamos trabalhando em projetos com diversos amigos musicais também… Aguardem… Vem muita coisa boa por aí…

Redação Marcha para Jesus