A Vanessa Rosa viveu um verdadeiro milagre na sua primeira Marcha para Jesus em 2005. Na época o evento ainda acontecia na Avenida Paulista e ela viu sua filha que estava quase morta ser curada assim que ela chegou no local.

“Na época ela tinha cerca de 7 / 8 meses e sempre ficava doente” contou ela. Até então Vanessa nunca havia participado de uma Marcha para Jesus e estava planejando pela primeira vez naquele ano. “Quando foi no dia da marcha estava tudo preparado para eu ir para manhã. Só que a sara tinha amanhecido muito mal e não tinha dado para eu ir” explicou Vanessa. Sua filha apresentava problemas respiratórios e ausência de ferro no sangue.

Ela deixou a menina com mãe e saiu para comprar o remédio que o médico havia receitado. “Quando eu voltei eram 10 horas em ponto bem na hora que estava começando a marcha, quando eu fui ver a sara ela estava quase morta nos braços da minha mãe”. Vanessa conta que sua mãe chorava muito e que decidiu ligar para a sua tia para pedir uma oração para a filha. A tia orou e a mandou levar a menina ao médico.

“Eu falei que ia levar a sara no médico dos médicos e que ela ia ser curada” disse Vanessa, que naquele momento decidiu que levaria a filha até a Marcha para Jesus. Ela conta que sua mãe a princípio foi contra, mas que acabou indo junto para que a filha não fosse sozinha. As duas saíram com a bebê de Mogi das Cruzes rumo a Avenida Paulista onde a Marcha acontecia. “Durante o caminho e sara só piorava e estava com muita febre. Eu falava para mim  mãe ela ia ser curada assim que eu colocaria os meus pé na Paulista”.

Dentro do trem Vanessa ia orando pela filha e conta que muitas pessoas que estavam no transporte indo para a Marcha também começaram a orar pela saúde de Sara.

Quando chegaram na Paulista Vanessa viu então Deus honrar a sua fé. “E assim que eu coloquei os meus pé na avenida ela foi curada e febre tinha sumido e  do nada ela começou a brincar no colo. Era outra sara que estava no meu braço completamente curada em nome de Jesus” finalizou ela.

Redação Marcha