Quem hoje vê a alegria da professora do Ensino Fundamental, Vanessa Camillo, aos 44 anos, marchando com seu filho, Felippe, não imagina todos os percalços que ela já enfrentou.

 

Quando tinha 18 anos de idade, recebeu a notícia de que não poderia realizar seu maior sonho: ser mãe. Mesmo indo para a fase adulta, não havia iniciado o seu ciclo menstrual, o que deixou seus pais bastante transtornados.

 

Após ser submetida a uma série de exames, descobriu que, além de não poder ovular, seu útero era infantil, e seus ovários, policísticos.

 

Ao não aceitar os primeiros diagnósticos, procurou outros especialistas, mas todos garantiam que Vanessa jamais poderia engravidar.

 

“Tudo era contra o meu maior sonho, mas, no meu íntimo, eu acreditava que Deus poderia realizar um grande milagre”, lembra ela.

 

Depois de muitas tentativas, Vanessa começou a se conformar com sua situação, mas a tristeza persistia em bater à sua porta. “Ir às reuniões de família era desesperador. Eu sempre era a tia ou a prima que tirava fotos das mães com seus filhos, e eu pensava: ‘Por que eu não posso viver essa alegria também?’. Isso me deixava arrasada”, relatou.

 

A história de Vanessa começou a mudar quando ela decidiu dar um passo de fé. Em 2007, foi convidada por uma tia que frequentava a Igreja Renascer em Cristo a participar da Marcha para Jesus. “Ela me encorajou a marchar pelo meu milagre, e disse que a última palavra não era dos médicos, mas do Senhor! Durante todo o trajeto, eu orei e caminhei, passo a passo, pelo meu milagre”, disse.

 

Em julho daquele mesmo ano, após sofrer um mal estar, foi encaminhada para o hospital. “Recebi o diagnóstico de labirintite, mas tive uma reação alérgica por conta das medicações. Fiquei em observação no hospital, mas os remédios não faziam efeito. Meus enjoos não passavam. Como meus sinais vitais estavam normais, fui liberada”, declarou.

 

Em agosto, Vanessa retornou ao hospital e explicou aos médicos que os enjoos não cessavam, mal sabendo que já estava carregando dentro de si o seu milagre tão esperado. “O médico me pediu um ultrassom com urgência, e eu fui surpreendida com a notícia que mudaria a minha história para sempre!”. Assim, aos 33 anos de idade, Vanessa descobriu que estava grávida.

 

Felippe nasceu no dia 7 de março de 2008. “Ele nasceu de cesárea, porque eu não tinha estrutura para dar à luz naturalmente e não aguentava mais o peso. Era bem pequenino, mas era o meu milagre de Marcha, a resposta de que, para Deus, não existem situações irreversíveis”, disse Vanessa.

 

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, óculos de sol, selfie, close-up e atividades ao ar livre

 

Hoje, Felippe está com 10 anos de idade e marcha todos os anos ao lado da mãe.

 

 

Aline de Fátima – Redação iGospel

Fotos: Arquivo Pessoal